Home > Notícias > CONVENÇÕES SINDIBERF - Propostas aprovadas evitam perdas futuras

26/07/2017 - CONVENÇÕES SINDIBERF - Propostas aprovadas evitam perdas futuras

Após quase 2 anos de luta, com muitos atos e reuniões, e seis reuniões de mediação que começaram em março, as categorias aprovaram, ontem (26) à tarde, as propostas para as convenções coletivas 2016/2017 e 2017/2018, que abrangem as trabalhadoras e trabalhadores da base do Sindicato dos Hospitais Beneficentes, Religiosos e Filatrópicos do Rio Grande do Sul (Sindiberf). As propostas aprovadas definem, ainda que parceladamente, que os salários estarão integralmente recompostos antes da próxima data-base (abril/2018).

Categorias aprovaram proposta por unanimidade

O fechamento dessas duas convenções, mesmo com tanta dificuldade, foi importantíssimo para os trabalhadores dos hospitais filantrópicos não somente pela integralização do salário antes da próxima data-base (abril de 2018), mas também por causa da suspensão da súmula 277 pelo Gilmar Mendes. Essa decisão tira de vigência todos os direitos de uma convenção que esteja vencida (como era o caso dos trabalhadores de hospitais filantrópicos até ontem) até que ocorra fechamento de nova negociação.

Ritter e Jesien apresentaram a proposta para as categorias, acompanhados do advogado do SIndisaúde-RS, Silvio Boff

Quase 2 anos de negociações

Em sua fala, o presidente do Sindisaúde-RS, Arlindo Ritter, lembrou das dificuldades que vêm por aí, com a aprovação da Reforma Trabalhista e a suspensão da súmula 277, que ainda têm de ser debatida no plenário do Supremo Tribunal Federal. "Essa proposta está muito, mas muito longe do que gostaríamos de apresentar a vocês, mas ao menos garante que, na próxima negociação, estaremos com o salário integralmente recomposto, e garante, também, a manutenção da convenção coletiva, que estava suspensa até a aprovação de hoje".

Retrospectiva

O secretário-geral do sindicato, Julio Jesien, retomou as negociações que duraram quase 2 anos, e lembrou que a primeira "proposta" da patronal foi de 0%. "Conseguimos, com os atos que realizamos principalmente na Santa Casa, onde trabalha também o representante do Sindberf nas reuniões mediadas, avançar nos percentuais. Primeiro para 3,5%, depois 5%, chegando agora a essa proposta parcelada, mas que repõe os salários".

Jesien fez uma retomada das negociações

A negociação ficou por muito tempo paralisada nos 5%, o que demandou uma série de reuniões mediadas entre entidades de classe e Sindberf no Tribunal Regional do Trabalho da 4 ª Região, por meio das quais foi possível avançar nas negociações efetivamente, apesar da intransigência da patronal.

Convenção 2016/2017

- Reajuste de 5%, retroativo à novembro de 2016, a incidir sobre o salário pago em março de 2016.

Obs.: O INPC do período ficou em 9,91%

Convenção 2017/2018

INPC do período, da seguinte forma:

- 2,285% a incidir na folha de julho de 2017;

- 2,34% a incidir na folha de setembro de 2017.

Obs.: as duas parcelas integralizam o INPC do período, que ficou em 4,57%, pois o pagamento de setembro incide sobre o salário já reajustado em 2,285% de julho, integralizando o INPC.

Perdas de 2016/2017

O pagamento das perdas de 2016/2017 ficou definido na convenção de 2017/2018. A recomposição se dará da seguinte maneira:

- 2,34% a incidir sobre o salário de janeiro de 2018, sem retroatividade;

- 2,29% a incidir sobre o salário de março de 2018, sem retroatividade.

Obs.: da mesma maneira, o segundo índice age sobre um salário já reajustado, integralizando o resquício de 2016/2017, que era de 4,91% (INPC de 9,91% - 5% (já pagos) = 4,91%)